Reading Time: 4 minutes

Empreendedores habilidosos criam empresas prósperas, bem estruturadas e a rede se expande. Mas, se o negócio é bom, por que ficar apenas na rede própria? Franquear é lucrativo, aumenta a velocidade de expansão e fortalece a marca. Quem quer passar por esse processo com sucesso se depara com a seguinte questão: como transformar meu negócio em franquia?

As dúvidas são comuns e é muito importante esclarecê-las antes de buscar interessados em ingressar no negócio como franqueados. O processo de preparação do negócio, criação do business plan e formatação da franquia são passos indispensáveis para quem deseja atuar com seriedade no franchising.

Quer aprender por onde começar? Veja a seguir!

O que levar em consideração?

Em primeiro lugar, antes mesmo de passar aos pormenores de como uma empresa vira franquia, é importante pontuar alguns aspectos relacionados ao negócio. O sistema de franchising é um modelo de negócio que é previsto em lei – a nova lei de franquias acaba de ser sancionada pela Presidência da República e entrará em vigor em março, sob o número 13.966, substituindo a lei 8.955/94. Por isso, há quesitos que devem ser seguidos em relação aos documentos, direitos e deveres das partes e outras particularidades desta forma de se expandir os negócios.

Em segundo lugar, é importante ressaltar que a criação de uma rede de franquias serve para expandir os negócios e fortalecer a marca. Não se trata de criar uma filial da empresa com o capital de outros empresários. A franquia replicará um modelo de negócio bem-sucedido e, por isso mesmo, o sucesso deve existir. Franquear não é uma forma de vencer uma crise interna.

Um outro ponto extremamente relevante é que o negócio central do franqueador não é vender franquias. A rede é uma estratégia de expansão dos negócios, mas também uma troca. O franqueador fornecerá conhecimento para os franqueados, trabalhando em conjunto com eles para que todos tenham sucesso. Há muito trabalho a fazer e o franqueador atua muito além da assinatura do contrato.

Como transformar meu negócio em franquia?
Partindo desses pressupostos essenciais, vamos aos passos que respondem ao questionamento inicial.

1. Crie um modelo que possa ser reproduzido por terceiros

Só pode ser franqueável um modelo de negócio que pode ser reproduzido com sucesso por outros empresários. O que é oferecido ao consumidor final nas franquias é semelhante ao que o franqueador sempre ofereceu em seus estabelecimentos.

A reprodução do negócio deve ser possível para quem está trabalhando na franquia, de acordo com variáveis do mercado. Deve haver sinergia especialmente quanto ao público-alvo, o número de habitantes atendidos e logística do ponto comercial. A ideia por trás do sistema de franquias é a padronização.

2. Encontre seu diferencial

O que torna sua empresa diferente das demais? Por qual motivo os clientes consomem em seu estabelecimento e não em outros, concorrentes? Esse diferencial é a base do valor oferecido ao franqueado que se junta à rede. O diferencial competitivo é um item indispensável para o sucesso de uma rede de franquias.

3. Invista no que dá certo

O empresário franqueador tem que ter operações próprias de sucesso. Assim, consegue demonstrar, na prática, os motivos pelos quais a franquia ofertada é viável e interessante para outros empreendedores. A vivência anterior e a construção de uma carreira no segmento que se pretende franquear fazem parte dos conhecimentos que serão fornecidos ao franqueado.

4. Faça o business plan

O plano de negócios é essencial. Quais são os objetivos do sistema de franquias? Como ele funcionará? Com quais recursos? Qual será o grau de comprometimento do franqueador com o negócio do franqueado?

Todas as questões relativas ao plano de negócios da franquia devem ser feitas no planejamento estratégico do negócio. O business plan funcionará como um verdadeiro mapa do caminho que será percorrido pelo franqueador e seus parceiros.

As decisões tomadas no plano de negócios variam muito de acordo com o perfil do franqueador. Alguns são mais centralizadores, outros querem delegar mais. Alguns exigem uma franquia complexa, outros preferem que os franqueados tenham uma estrutura mais enxuta. Tudo isso dependerá do quadro organizacional projetado pelo empresário e determinará os resultados do negócio.

5. Crie o registro de métodos e patentes

Se o método da franquia pode ser registrado, se há uma invenção patenteada ou propriedade intelectual que admita registro, isso deve ser feito antes mesmo de concluir a formatação do negócio.

Não se trata de uma obrigatoriedade legal, mas o registro assegura que os parceiros não sejam prejudicados pelo uso indevido das propriedades da marca, método ou patentes. O registro dá uma camada adicional de proteção e garantias aos franqueados, agregando valor à rede de franquias.

6. Planeje a formatação do sistema

A formatação do sistema de franquias é essencial, pois ela se tornará um novo negócio do franqueador. Para ingressar no mercado é necessário que já exista o formato pronto, não é possível trabalhar na base da tentativa e erro. O profissionalismo demonstrado nas fases anteriores ao contrato é um elemento que traz autoridade e confiança, essencial para quem quer atrair bons franqueados.

Tudo deverá ser objeto de estudo e planejamento: tributos, taxas cobradas para que o sistema seja viável, quadro de funcionários desejável em cada unidade franqueada, logística de escoamento, manualização e tudo mais que for necessário para a operação. Só depois de ter todas as respostas é que o franqueador buscará interessados no mercado.

7. Prepare a redação dos documentos fundamentais

Não existe franquia sem os documentos previstos em lei. Os três itens fundamentais são:

  • circular de oferta de franquia;
  • pré-contrato de franquia;
  • contrato de franquia.
  • A determinação dos direitos e obrigações das partes, bem como a exposição detalhada de todo o formato estabelecido até aqui, deverão constar de tais documentos. Trata-se de exigência legal, que deve ser observada e cuja redação compete a profissionais especializados no assunto.

Deixar algo de fora nos documentos essenciais traz prejuízos significativos para os envolvidos, por isso é essencial contar com o suporte de um advogado especializado em franchising.

A resposta para a questão “Como transformar meu negócio em franquia?” passa por uma verdadeira jornada de aprendizado. Trata-se de uma maneira própria de fazer negócios, mas que rende bons frutos. Para isso, é fundamental contar com uma boa assessoria jurídica, como a Novoa Prado, que presta consultoria jurídica empresarial em franchising, com ampla experiência no ramo para empresários de vários setores.

Quer formatar um sistema de franquias? Entre em contato conosco e conheça nossa consultoria especializada!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.