Reading Time: 4 minutes

Franquear uma empresa pode ser uma boa opção para expandir um negócio e aumentar a distribuição de produtos. Esse modelo vem crescendo no mundo todo, inclusive no Brasil, onde marcas conhecidas seguem abrindo novas unidades e aumentando a quantidade de empregos.

Uma expansão de sucesso, no entanto, exige uma formatação de franquia cuidadosamente planejada, que preze pelo relacionamento com o parceiro e tenha regras definidas. Para iniciar o processo, é necessário fazer o levantamento atual da situação da empresa e a análise de mercado no setor, além de criar estratégias e organizar os processos.

Isso tudo em um plano de negócios articulado, em que constem a necessidade de investimento da matriz e a expectativa de retorno para todos os envolvidos. Quer saber mais sobre o tema? Então, confira mais detalhes no texto a seguir.

Como funciona uma franquia?

Franchising é um modelo de negócios em que uma empresa cede o direito de uso da sua marca para um terceiro, que deve replicar, em sua loja, não apenas o conceito da marca, mas também todo o formato de operação do franqueador. Assim, a nova loja funciona como uma espécie de clone da matriz.

Isso inclui ter a gestão, o atendimento e a divulgação idênticos ao da loja modelo, ou baseados em suas diretrizes. Para tal, o franqueador precisa oferecer suporte e treinamento para a nova equipe, além de um canal de comunicação aberto com o investidor e a indicação de um plano de marketing.

O contrato deve obedecer às diretrizes da Lei de Franquias, descrevendo direitos e deveres dos envolvidos, e pode prever outras questões importantes, como a questão territorial, prazo e renovação de contrato, abastecimento e relação com fornecedores, entre outros assuntos. Muitas empresas optam por esse caminho para expandir o seu negócio. Isso porque, quando a estruturação das regras da franquia é bem-feita, o modelo torna-se uma alternativa prática e segura.

Como iniciar o processo para formatação de franquias?

Para formatar a franquia, é necessário estruturar cada passo da relação com o franqueado e criar ferramentas eficientes para gerenciar o negócio. É preciso lapidar as regras entre a empresa matriz e o investidor para atender a demandas de ambos os lados.

O processo de preparação para a empresa começar a franquear pode ser longo, pois há detalhes técnicos e legais que precisam ser analisados cuidadosamente. Por isso, é muito importante contar com uma assessoria jurídica especializada em franchising e varejo.

Fique atento a alguns pontos importantes para iniciar a formatação da sua franquia.

Situação da empresa

Antes de colocar o sistema de franquias em prática, o franqueador precisa amadurecer bem a ideia, analisando prós e contras, para ter muita clareza sobre os desafios que terá pela frente. Franquear um negócio requer planejamento.

O primeiro passo é fazer um levantamento interno sobre sua situação atual e sobre a capacidade de expansão. Também é importante estudar o mercado em que está inserida a marca para, então, definir o modelo e os padrões a serem adotados.

Investimento e retorno financeiro

Esse é o momento de fazer planilhas para entender quanto será gasto para a implementação do modelo de franchising e quais os resultados esperados. Afinal, a franquia precisa ser rentável tanto para o operador quanto para o investidor, que receberá os direitos de uso da marca.

O franqueador precisa prever, em seu plano de expansão, um investimento em pesquisa, assessoria jurídica e montagem de todo o processo. Além disso, precisa estar ciente de que o retorno financeiro não será imediato, já que deve contabilizar o tempo de aproximação e dos trâmites legais com os parceiros, assim como o tempo de solidificação do negócio, para, só então, gerar lucro.

Plano de negócios

Uma dica é iniciar a expansão de forma regional e analisar os resultados e desafios, para, só então, acessar outros mercados. O plano de negócios pode ter etapas para curto e longo prazo, mas precisa ser realista e modificar-se a partir do retorno dos primeiros investidores. É imprescindível que ele tenha estratégias muito claras.

Definição de estratégias

Com os dados do plano de negócios, chegou a hora de definir as estratégias para abrir novas lojas. Serão discutidos, nessa etapa, o prazo do retorno financeiro, os valores e os royalties, o fundo de propaganda e as multas por rescisão ou quebra de contrato.

A estratégia deve levar em conta o cliente de cada localidade onde a empresa pretende expandir seu negócio, a criação de um perfil do franqueado ideal, a definição do modelo de suporte, o tipo de treinamento, a exigência (ou não) do mesmo layout de todas as lojas e qual a expectativa de resultado com cada uma dessas decisões.

Elaboração dos processos

Padronização é um termo-chave para o franchising. Por isso, os processos para replicar a operação, a gestão e a divulgação da marca devem estar bem definidos. O produto ou serviço precisa ter a mesma qualidade e o mesmo conceito, independentemente do lugar em que a loja for aberta.

Manuais são uma boa opção para dar suporte a novos parceiros e funcionários e ainda servem como direcionamento para as consultorias de campo. Processos simples e bem estruturados tornam os treinamentos muito mais rápidos e eficientes, com economia financeira e resultados melhores.

Gestão de relacionamento

Não adianta pensar apenas na lucratividade do negócio e na distribuição dos produtos — é preciso dedicar um tempo para pensar na gestão de relacionamento com o cliente. Esse é um tipo de negócio que exige uma relação continuada, que deve se estender por muitos anos. Nesse meio tempo, os conflitos são inevitáveis.

Então, é preciso pensar em como manter o investidor e sua equipe motivados com o negócio, aprender a ouvir o parceiro e criar ferramentas para discutir diferentes pontos de vista sem gerar crises. Para isso, há que se ter canais de comunicação abertos e a mediação de conflitos, que já podem estar previstos no contrato na ocasião da formatação da franquia.

Quais os documentos necessários nesse processo?

As resoluções tomadas durante o processo de formatação de franquias, com as regras definidas pela empresa matriz, precisam estar dispostas em uma série de instrumentos jurídicos, como o pré-contrato, a Circular de Oferta de Franquia (COF) e o próprio contrato, que devem ser assinados por ambas as partes.

A assessoria jurídica especializada, com advogados estrategistas em franchising e varejo, como Melitha Novoa Prado, pode elevar a qualidade das cláusulas desse contrato, inserindo temas relacionados à gestão de relacionamento, indicando que o franqueador se filie à Associação Brasileira de Franchising (ABF) e prevendo problemas futuros. Com o auxílio dos profissionais competentes e a atenção aos pontos citados, franquear o seu negócio tem tudo para ser um verdadeiro sucesso!

O nosso post sobre a formatação de franquias foi útil? Compartilhe-o nas redes sociais e espalhe essas informações para os contatos interessados!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.